Escolha uma Página

Quando o ex-presidente Lula foi anunciado pela então presidenta Dilma Rousseff como ministro-chefe da casa Civil, o juiz Sérgio Moro tornou público o conteúdo de interceptações telefônicas de Lula, seus familiares e até de seus advogados.

Pior que isso, o juiz de primeira instância vazou até conversas entre Lula e Dilma que foram travadas em período em que não havia autorização para que seu telefone estivesse interceptado. Ou seja, Moro não apenas grampeou Lula de maneira completamente ilegal como ainda divulgou para a imprensa o conteúdo do grampo criminoso.

A lei sobre interceptações telefônicas é cristalina ao apregoar que toda e qualquer gravação de conversa fruto de uma interceptação telefônica deve ser resguardada pelo mais absoluto sigilo, só podendo ter uso no âmbito de processo penal a que se relaciona. Sérgio Moro, no entanto, colocou-se acima da lei e deu o uso que bem quis ao material sigiloso.

 

Veja abaixo o que dizem os advogados Cristiano ZaninValeska Martins a respeito do assunto.

Entenda as injustiças e ilegalidades nos processos movidos contra Lula:

Conduta

No especial sobre o processo do Triplex do Guarujá saiba como o juiz Sergio Moro deixou de observar a lei ao permitir a divulgação de ligações telefônicas interceptadas. Além de grampear parentes de Lula e advogados de defesa o juiz permitiu que até conversas da ex-presidente Dilma captadas sem autorização judicial fossem reveladas para a imprensa.

Publicado por A verdade de Lula em Domingo, 14 de janeiro de 2018

 

Da Redação da Agência PT de Notícias